Amor Apologética

DEUS NÃO PRECISA QUE EU O DEFENDA

12:30Maicon Custódio



Desde sempre as dúvidas acerca da existência de Deus, seu poder, sua glória e sua grandeza são correntemente levantadas. Ateísmo não é de agora, mas vem de muito tempo.

"De acordo com o filósofo francês Michel Onfray, o ateísmo data das primeiras décadas do século XVII, com o texto Testamento (sem data), do abade Jean Meslier, considerado um mártir da causa atéia. No século XVIII, as idéias foram seguidas por Holbach, com o livro O contágio sagrado (1768) e, no século XIX, Feuerbach escreve A Essência do Cristianismo, em 1841. Este último título ficou famoso, principalmente pelas críticas recebidas por Karl Marx"[1].

Há algum tempo um cientista chamado Richard Dawkins escreveu um livro de ataque a Deus e a religião. Sua obra tem por título: “Deus, Um Delírio”. Neste material Dawkins passa a tratar como doença, ilusão e sonho o que entendemos como Deus. Ele é irônico, sarcástico, porém seus argumentos, em sua maioria, acabam por ser mais utópicos e metafísicos do que a fé num Deus. Ele ataca de forma mais dura a idéia do “Deus dos Cristãos” colocando-o em algumas ocasiões como um Deus homicida e sedento por sangue, porém este post não é para informar sobre quem é o ateu, mas quem é o Deus que ele teimosamente nega. Entendam que esta é apenas uma introdução ao meu assunto. Caso queira ler uma réplica a Dawkins (se possível leia Dawkins antes) indico o “Delírio de Dawkins” que é uma obra de Alister e Joanna McGrath.

Obras como a de Dawkins sempre nos causam alguns problemas – Código Da Vinci é outro caso famoso – e os irmãos em nossas igrejas se mostram muito revoltados e de certa forma até nos acusam de não defendermos nossa fé, de não defendermos o nosso Deus, em última análise eles dizem: “Maicon, Deus está indefeso!”.

Gostaria aqui, de esclarecer a você que não precisamos escrever ou discutir por longos espaços de tempo com ateus e agnósticos, pois Deus não precisa de defesa. Enganamo-nos quando achamos que Deus está sendo denegrido, humilhado e atacado e que, a não ser que arregacemos as mangas e saiamos em sua defesa, ele cairá no esquecimento, deixará de ser Deus. Isso é patético! Defender e argumentar sobre a sua fé é algo que concordo e faço, mas defender Deus, como se fosse Ele uma criança indefesa, é algo que seria muito tolo de minha parte.

O Altíssimo ri-se da nossa ignorância, afinal tudo isto está sob sua soberana vontade e serve como preparação para o seu propósito de julgar e condenar os ímpios no último, grande e terrível dia. Deus usa da sua própria Palavra Santa para nos mostrar que Ele não precisa de defesa, mas de piedade e fidelidade da parte de seus eleitos. Obediência, adoração e devoção. Nada mais. Na história do povo de Israel, o próprio Deus agia ou levantava meios para glorificar seu nome e dizimar os que O profanavam. O mar engoliu os egípcios, o som da trombeta derrubou muralhas, o fogo do céu consumiu profetas e até “o sol parou” para que Ele demonstrasse seu poder. O povo não precisava defender o Santo de Israel, pois era Ele quem os defendia.

Portanto, não se desespere com a mentira, mas viva e ensine a verdade, pois ela é a maior das vacinas contra a doença chamada “descrença”.

Meu Deus não está indefeso, mas é a minha defesa e a Escritura diz que “Ele é o Vingador” e por mais que o mundo se levante para dizer que Ele não existe ou não age no meio da História, ainda assim crerei, amarei e glorificarei o Seu nome, pois Nele está a minha esperança que o aqui é para ser vivido para Ele, mas o que há de vir é maior e mais completo do que qualquer outra coisa, e isso enche meus lábios de riso. Enquanto isso, o que não crê ainda pergunta: “Para onde vamos?”

Para falar do Deus que não precisa de defesa, uso as palavras do Apóstolo Paulo que diz:

"Ó profundidade da riqueza, tanto da sabedoria como do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos! Quem, pois, conheceu a mente do Senhor? Ou quem foi o seu conselheiro? Ou quem primeiro deu a ele para que lhe venha a ser restituído? Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente. Amém!"

Se este Deus precisa ser defendido, a nós, preferível seria “amarrar uma pedra ao pescoço e lançar-se ao mar”, pois não nos haveria esperança alguma.

Assim me despeço por hoje.

No amor do DEUS CRIADOR E MANTENEDOR de tudo que existe e que NÃO precisa de defesa,

Maicon.


[1] Disponível em: http://www.opovo.com.br/opovo/vidaearte/774762.html



Você Poderá Gostar de:

1 comentários

  1. Maravilhoso seu post meu caro. Logo montarei um blog nessa mesma idéia, parabéns !!
    Aproveito pra deixar aqui o quanto tenho ficado perplexo com a capacidade que alguns se entitularam " defensores do evangelho " a ponto de viverem somente pra condenar posturas, buscar contradições e apedrejar homens que divulgam a palavra de Deus. Isso é realmente necessário, ante a termos tanta gente precisando de uma palavra de vida ? Tenho certeza que tantos conflitos só afastam os perdidos da palavra de Deus, além de causarem mais dúvidas e revoltas.
    Acredito que a crítica é algo importante, mas deve ser levada como algo secundário. Praticar o amor é o alvo ! quantas pessoas se deram o trabalho de ir pregar num presídio, ir orar ou levar remédios em algum hospital, dar de comer ou qualquer doação a algum pobre ?... Isso é Muito mais importante do que usar milhoes de versículos para dizer quem tá certo e quem tá errado.
    As pessoas que se dizem "certões" da fé esqueceram que são tão sujos quanto quem eles criticam e acho que existe uma explicação - Os que vivem pra apedrejar são os crentes de youtube e internet, que Vivem na mão de movimentos teológicos que arrastam massas e não tem a decência de dar um bom testemunho nem dentro de casa.
    Pra acusar são leões, mas pra praticar são gatinhos dissimulados. Lobos na pele de cordeiros.
    Por fim, deixo esta mensagem : Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade, e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecediço, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito.
    Se alguém entre vós cuida ser religioso, e não refreia a sua língua, antes engana o seu coração, a religião desse é vã.
    A religião pura e imaculada para com Deus e Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo.
    Tiago 1:25-27

    Um grande abraço.

    ResponderExcluir

Comente. Debata. Discorde. Elogie. Concorde.
Desfrute deste espaço que é seu, amado leitor.
Apenas me conservarei no direito de não responder ANÔNIMOS e conseqüentemente deletar seus comentários.

Na paz do Eterno.

Pr. Maicon

Instagram

Siga!

Formulário de contato