Entrevista

Maicon Entrevista: Augustus Nicodemus Lopes

23:45Maicon Custódio




Pessoal, inicio agora uma série de entrevistas para o blog. Sempre trazendo alguma pessoa que me influencia, que admiro e que tem sido instrumento de bênção ao povo cristão protestante no Brasil.

Hoje o nosso entrevistado é o Dr. Rev. Augustus Nicodemus Lopes que é ministro presbiteriano, teólogo calvinista, professor e escritor natural da Paraíba. Desde 2003 atua na Universidade Presbiteriana Mackenzie, exercendo a função de chanceler dessa instituição, cargo que visa manter a confessionalidade presbiteriana da universidade. O Dr. Augustus tem um blog (O Tempora, O Mores) juntamente com Solano Portela e Mauro Meister. Lá estão alguns dos melhores textos de cosmovisão e teologia reformada da internet.

Se você ão conhece as obras dele, aqui temos alguns de seus livros: CLIQUE AQUI

Indo ao que interessa...

Confira na íntegra abaixo as respostas do Rev. Augustus as minhas perguntas que transitaram desde assuntos teológicos até UFC, acredita? rs

Desfrutem, meus amigos!



Parte 1 - Igreja, Influências, Família e Teologia

MC - Reverendo, para começar, vamos falar um pouco sobre sua história como cristão. Qual é a sua história na igreja? Nasceu em um lar evangélico ou se converteu depois de certa idade?
ANL - As duas coisas. Nasci em lar evangélico. Meus pais são presbiterianos e criaram a mim e a meus irmãos na Igreja Presbiteriana em Recife. Aos 18 anos parei de freqüentar a igreja e assumi um estilo de vida totalmente não evangélico e desregrado em todos os sentidos. Na época era universitário e empregado. Aos 22 anos, após uma profunda crise existencial causada por um enorme vazio interior e falta de sentido para a vida, busquei a Deus em minha angústia e fui atendido. Minha conversão foi súbita e mudou profundamente a minha vida, até hoje.

MC - Em um dos capítulos de seu livro “O Que Estão Fazendo Com a Igreja” o senhor “profetizou” que as igrejas neo-pentecostais iriam passar por um processo de declínio. De fato está acontecendo. Li recentemente que a IURD perdeu 24% de adeptos nos últimos 6 anos e que a Renascer caiu de 1100 para menos de 400 templos Brasil afora, depois dos escândalos do casal Hernandes. Os resultados que vemos são: Os desigrejados e o retorno às igrejas históricas. O que o senhor conclui/comenta sobre estes fatos e quais as perspectivas que vê para o futuro?
ANL - Se por um lado eu me alegro pelo declínio do número de adeptos em igrejas que defendem um evangelho distorcido, por outro me entristeço pelo fato que muitos destes adeptos decepcionados com as igrejas neopentecostais se afastaram definitivamente de todas as demais, e não querem mais saber de igreja. A tendência atual, ao meu ver, é de crescimento dos desigrejados – fenômeno já observado na Europa e nos Estados Unidos, embora lá o motivo seja principalmente o liberalismo teológico.


MC - Como explicaria o fato de o senhor ter um certo “trânsito livre” em várias denominações, inclusive pentecostais, mesmo sendo um pastor reformado de linha conservadora?
ANL - Até eu estou surpreso! Se de fato existe este trânsito, deve ser pelo fato de que defendo alguns pontos que são igualmente apreciados pelos irmãos pentecostais, como a infalível autoridade da Palavra de Deus, a ênfase numa vida de santidade, a busca do avivamento. Ou ainda pelo fato que considero os pentecostais como irmãos em Cristo e que estou disposto a me relacionar fraternalmente com eles, coisa que alguns reformados rejeitam.

MC - Como presbiteriano, acha que o “Novo Calvinismo” pode vir a ser uma realidade no Brasil? Se acha que sim; julga que o modelo de Mark Driscoll, Tim Keller e Matt Chandler, por exemplo, poderia ser aplicado aqui?
ANL - Eu vou assumir que “novo calvinismo”  se refere ao movimento mais recente encabeçado por pastores americanos calvinistas como John Piper, Mark Driscoll, Tim Keller, etc. Todos eles aderem firmemente à teologia reformada, adotam uma liturgia contemporânea, enfatizam o caráter missionário da igreja e divergem em questões relacionadas com batismo, contemporaneidade dos dons e outras. Acho que os calvinistas no Brasil precisam achar a receita que combine relevância com compromisso bíblico e aderência à teologia calvinista. Neste sentido, os modelos estrangeiros têm aplicação limitada no Brasil. Aprecio a visão mas gostaria de achar meu próprio caminho de implantá-la no meu contexto.

MC - Falando um pouco sobre a vida pessoal: O senhor é um homem muito ocupado com a chancelaria do Mackenzie, docência, pastoreio da IP de Santo Amaro, conferências, viagens, blog, produções literárias e outras atividades que eu provavelmente não saiba. Como consegue conciliar tantas atividades com a vida em família?
ANL - Tento concentrar minhas viagens nos fins de semana e na medida do possível levo a esposa e eventualmente os filhos, quando eram menores e eu podia ir de carro. Sempre durmo em casa durante a semana e tenho tempo para eles à noite. Minha esposa, a Minka, é filha de missionários e entende perfeitamente o meu ministério. Os filhos devem ter sentido mais a ausência do pai, mas a julgar pelo amor que me demonstram, acho que superaram.

MC - Encerrando esta parte, quais as pessoas que mais te influenciaram e influenciam no que diz respeito à sua teologia, pensamento, discurso e como escritor?
ANL - Menciono meu sogro, Rev. Francisco Leonardo Schalkwijk, cuja vida e sabedoria me marcaram profundamente desde cedo. Sinto-me devedor ao Rev. Laudo de Almeida pela iniciação no calvinismo. De resto, creio que Martyn Lloyd-Jones marcou minha pregação e Calvino a minha teologia.


Parte 2 - Hobby, Músicas e UFC

MC - Pelo que acompanho em suas redes sociais – além de ter ouvido do senhor mesmo algumas vezes – tem motocicletas como hobby, certo? Como a "Harley-Davidson" entrou na sua vida? Tem outros hobbies?

ANL - Eu ando de moto desde os 18 anos de idade. Já tive diversas marcas e diferentes cilindradas, como Yamaha TX 650, Honda CB 750Four, Honda XL 250... somente mais recentemente adquiri uma Harley-Davidson, uma moto bem diferente da concepção japonesa e com sua conhecida e lendária tradição. Eu uso a Harley todo dia para ir ao trabalho e cada dia é um prazer renovado. Gosto do ronco característico, do torque e da tremedeira. Não tenho outro hobby por enquanto, mas com a aposentadoria despontando no horizonte acho que devo começar a pensar nisto...

MC - Já que falamos sobre gostos, falemos um pouco sobre música agora. Qual seu estilo musical preferido? Indique alguns dos músicos que mais gosta de ouvir!
ANL - Sou meio eclético quanto a estilos musicais, mas daria preferência ao rock, blues e à bossa nova. Gosto de Eric Clapton, John Meyer, B.B. King, Gal Costa, Tom Jobim e vários outros.

MC - Já que estamos falando de indicações quais os filmes e livros não-teológicos que indicaria para nossos leitores?
ANL - Não acho que sou uma boa referência nesta área. Não gosto de ir ao cinema para ver filmes que retratem a realidade. Já lido diariamente com isto. Gosto de ver ficção e aventura. Quanto a livros, é a mesma coisa. Gosto de John Grisham e outros autores similares. Gosto de ler aventuras, suspense, mistério... mas a verdade é que recentemente mal dou conta das minhas leituras teológicas. Estou terminando “Saving Leonard” da Nancey Pearcey e na lista vem “Zen and the Art of Motorcycle Maintenance”, que mesmo não sendo teológico trata da dicotomia que marca a cultura e a academia modernas.

MC - Para finalizar vou destoar de todo o resto da entrevista (risos): Quero fazer uma pergunta que ouvi de muitas pessoas ultimamente, além de ser uma dúvida pessoal, e por isso repasso ao senhor: Crente pode assistir e praticar MMA? (Alguns chegaram a comparar as lutas do UFC aos "shows" dos imperadores romanos no Coliseu.)
ANL - Eu sinceramente não tenho uma resposta teológica para isto. Se for questão de gosto, eu não gosto de assistir luta boxe, luta livre, judô ou karatê – embora quando jovem pratiquei judô. Preciso ainda entender que princípios bíblicos estão de fato envolvidos nesta questão. Farei isto mais adiante, quando o tempo der...




Agradeço profundamente a você, Dr. Augustus, pela atenção que teve em responder e trazer esclarecimentos tão preciosos para nós, além de nos contar um pouco sobre seus gostos e coisas que faz nas horas de folga.

Que Deus continue o abençoando profundamente!!!



Maicon.

Você Poderá Gostar de:

13 comentários

  1. Muito legal (a iniciativa, as perguntas e as respostas do Rev. Augustus).
    Sempre bom mostrar o lado "humano" do homem que é referencial.

    ResponderExcluir
  2. Muito boa a entrevista. Descontraída, conseguindo que o Rev. Augustus mostrasse ser uma pessoa de bom humor e gente como a gente. Abs

    ResponderExcluir
  3. Kaline e Dody, fico muito feliz pelo fato de vocês terem esta percepção da entrevista...

    A intenção era mesclar assuntos da área de atuação dele com coisas cotidianas.

    Parece que deu certo, rs

    Bjus

    ResponderExcluir
  4. Maicon,

    Parabéns pela entrevista... Ela ficou ótima!!!

    Ela mostra que calvinista é gente como a gente (rsrsrs).


    Jailson

    ResponderExcluir
  5. Perguntas positivas e bem elaboradas com respostas de quem conhece

    ResponderExcluir
  6. Grande Maicon - se já tinha orgulho de te conhecer... mais e mais me supreendo com suas atitudes. Vejo que tens sido muito abençoado por Deus - não perca nunca a direção (mude-a apenas sob a orientação do Pai). Oro, e continuarei orando sempre, para que você cresça sempre no servir, e bem servir, a Deus.

    ResponderExcluir
  7. Jailson, é verdade! O Rev. Augustus me cativa por ser tão simples e "imanente". Um homem diferenciado!

    Mateus, fico feliz que você pense assim. Minha vontade era de tentar trazer o entrevistado o mais perto possível de nós, pois via de regra nós os enxergamos como pessoas com uma áurea muito superior!

    Ricardo, meu amado! Que saudade de você, meu amigo... Que bom ler seu comentário. Você é também uma referência a todos nós com sua espiritualidade despojada e visão tão ímpar do mundo... Precisamos de homens como você.

    Lembra de me mandar o endereço pra enviarmos o convite da formatura pra ti, hein!

    Abraço a todos

    ResponderExcluir
  8. Muito me influencia o Rev. Augustus. Tenho aprendido muito com ele!
    Vou colocar esse blog entre os meus de teologia!

    Sds,


    Elivando Mesquita
    Fortaleza - CE

    ResponderExcluir
  9. Muito legal Maicon! Tem que fazer uma segunda edição quando der.... Rsrsrs

    ResponderExcluir
  10. Estilo musical mundano? Não entendi?

    ResponderExcluir
  11. Excelente Maicon!
    Gostei muito do trabalho que fez.
    Parabéns e traga mais coisas boas pra gente ir bebendo aí, rs.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  12. Graça e paz! o Rev. Augusto, é um grande poço de águas limpas e sabedoria que nos tem agraciado com seu discenimento das coisas do alto.Que Deus lhe dê muitos anos conosco,para bebermos dessa fonte.

    ResponderExcluir

Comente. Debata. Discorde. Elogie. Concorde.
Desfrute deste espaço que é seu, amado leitor.
Apenas me conservarei no direito de não responder ANÔNIMOS e conseqüentemente deletar seus comentários.

Na paz do Eterno.

Pr. Maicon

Instagram

Siga!

Formulário de contato