Entrevista Vida Cristã

Maicon Entrevista: Geremias do Couto

15:07Maicon Custódio



Olám meus amigos! Que bom poder voltar a blogar depois de alguns tempos! Estou retornando à ativa depois de uns dias de correria, mas voltamos em grande estilo! Nas linhas abaixo você poderá conferir a conversa com o pastor Geremias do Couto. Espero que sua vida seja abençoada com cada palavra dita por ele!




GEREMIAS DO COUTO. QUEM É?


Pastor, escritor, jornalista, conferencista, casado com a profa. Debora Couto, pai de três filhos - Giselle, André e Marcelle - sogro de Rodrigo Miguel e Jeanyne Couto, avô de duas netas - Ana Clara e Ana Beatriz - ex-aluno do Instituto Bíblico das Assembleias de Deus em Pindamonhangaba, SP, foi evangelista associado à Cruzada Boas Novas, presidida pelo rev. Bernhard Johnson, segundo vice-presidente da UMADER – União de Mocidade das Assembleias de Deus do Estado do Rio, fez parte da equipe de redatores dos periódicos da CPAD e de seu Departamento de Escola Dominical e foi missionário entre o povo de língua portuguesa, nos Estados Unidos da América, onde ajudou a plantar novas igrejas e dirigiu o Instituto Bíblico Canaã, a primeira instituição do gênero em língua portuguesa no país do norte. De volta ao Brasil, assumiu a chefia do Setor de Jornalismo da editora assembleiana, onde exerceu, posteriormente, o cargo de Diretor de Publicações. Foi professor do Instituto Bíblico Pentecostal, professor da EPOE, segundo vice-presidente da Assembleia de Deus em Cordovil, RJ, presidente da Associação Teológica Serrana e fundou a Assembleia de Deus – Centro Missionário Cristão, em Teresópolis, RJ, da qual é presidente de honra. É autor do livro A Transparência da Vida Cristã, um estudo teológico-devocional sobre o Sermão do Monte, escreveu o capítulo sobre Eclesiologia da Teologia Sistemática Pentecostal, publicada pela CPAD, comentarista da revista Lições Bíblicas para a Escola Dominical, publicada pela CPAD, presidente da organização Geremias Couto Ministry, Inc, membro da Casa de Letras Emílio Conde, editor pela CPAD da Bíblia de Estudo Pentecostal, verbete do Dicionário do Movimento Pentecostal e Coordenador Nacional do projeto Minha Esperança, realizado no Brasil pela Associação Evangelística Billy Graham em parceria com as igrejas evangélicas, além de continuar mantendo vínculos de parceria com o My Hope Project, da mesma organização.

VAMOS ÀS PERGUNTAS ENTÃO:


Nos fale um pouco sobre seu histórico na igreja. Como foi introduzido ao cristianismo; alguma experiência marcante?

Cresci em lar evangélico. Todavia, por volta dos meus quatro/cinco anos, enquanto o meu pai pregava em Três Rios-RJ, na igreja sob o seu pastorado, senti o toque do Espírito Santo e naquela noite de quarta-feira tomei a decisão de seguir a Cristo por toda a minha vida. Desde então, a chama sempre ardeu em meu coração. Embora tenha tido uma adolescência tumultuada para os padrões conservadores da época, na Assembleia de Deus, nunca perdi a fé no Senhor. Aos 17 anos fui para o Instituto Bíblico de Pindamonhangaba, SP, e até hoje continuo envolvido na obra para a qual fui chamado.

Como se deu a sua ligação com a Associação do Billy Graham?

Por volta dos meus 19/20 anos, entre 73 e 74, trabalhei no escritório da Cruzada realizada por Billy Graham no Maracanã, em parceria com as igrejas evangélicas do Rio de Janeiro. Desde então, sempre me mantive em contato com a Associação, buscando participar de seus eventos. No final de 2007 fui convidado para conhecer o projeto Minha Esperança e assistir as transmissões dos programas nas Filipinas. Voltei de lá entusiasmado. Se cremos que Deus também provê os meios para a salvação, o Minha Esperança é um deles, que alia as características do evangelismo massivo com o evangelismo pessoal, através dos lares que são abertos nos dias das transmissões para que amigos, parentes e vizinhos possam ouvir a Palavra Deus. No Brasil, coordenei o projeto, com cerca de 40 mil igrejas envolvidas e mais de 300 mil decisões anotadas. O Minha Esperança está, agora, em Zâmbia, Portugal e na Espanha.

O senhor, além de pastor, é também jornalista. Acha importante que pastores tenham formação acadêmica em alguma área não eclesiástica? Se SIM, quais os cursos que julga mais relevantes para o pastor?

Acho não só importante como indispensável, caso o pastor disponha de tempo e recursos para aprimorar a sua formação. Quanto aos cursos mais úteis, depende muito da área em que atua. Mas como pastor, de maneira específica, creio que ajudam muito os cursos na área de humanidades.

Em 2009 a Igreja Presbiteriana do Brasil completou 150 anos. Agora em 2011 a Assembleia de Deus completou 100 anos. Olhando para a história delas, o que foram, o que fizeram, em que acha que as denominações históricas melhoraram e em que pioraram nos últimos 20 anos?

Pergunta difícil. A resposta demandaria um livro. Embora o liberalismo tenha predominado em muitos centros acadêmicos, inclusive pentecostais, ao longo dos últimos anos, e tenhamos dificuldades institucionais, sobretudo na Assembleia de Deus, vejo com bons olhos o estreitamento do companheirismo entre teólogos pentecostais e reformados, como reação ao liberalismo e à neopentecostalização da Igreja. Quando eu leio que uma conferência, como a realizada pela Fiel há pouco mais de duas semanas, teve público predominantemente jovem, tanto em presença física, para ouvir os preletores, como também nas redes virtuais, que transmitiram em tempo real, isso me anima a acreditar no nosso futuro.

Pastor, qual sua opinião sobre os neo-pentecostais? Deixe-me melhorar esta pergunta: Julga que as igrejas mais sérias deveriam ser mais enérgicas no trato com os líderes das neo-pentecostais e que o governo deveria fechar o cerco na questão fiscal, por exemplo?

Com toda a consideração aos crentes que lá servem a Deus, às igrejas neopentecostais prestam um desserviço ao Reino, quando põem o peso da fé naquilo que eu chamo de “humanismo cristão” e mercantilizam o sagrado, como se a vida cristã fosse algo para ser vivido à base de barganha. Acho que do ponto de vista fiscal o governo deve, sim, apertar o cerco não só em relação a elas, mas a todas as igrejas. Quem trabalha de maneira séria não precisa temer. Não podemos concordar que eventos cristãos sejam meios de lavagem de dinheiro.

Saindo do assunto “igreja”, faço a mesma pergunta que fiz ao último entrevistado: Tem algum hobby? Fale um pouco sobre ele.

Não gosto de motos, como o Augustus Nicodemus, mas nas horas vagas faço poesias e pinto quadros... para o próprio consumo. Não os exponho por considerá-los primários. Outra coisa que aprecio muito é o puzzle. Aprendi isso com um missionário americano em Belo Horizonte.

Sendo usuário constante de redes sociais o senhor acaba tendo um convívio muito grande com diversas pessoas. Dentro do que tem notado, qual a validade destes contatos? O que destaca de positivo e negativo de sua presença e de outros pastores e líderes referenciais nas mídias sociais?

Acho que as redes sociais, como qualquer invenção humana, pode servir tanto para o bem quanto para o mal. Elas revelam aquilo que somos, com um detalhe: Temos a tendência de nos expormos mais do que faríamos se estivéssemos numa roda de amigos ou numa reunião formal, porque estamos solitários diante da tela do computador. Em suma, se temos domínio próprio, as redes sociais são úteis e acho que os pastores e líderes deveriam usá-la com mais freqüência até para que sejam ali bons referenciais, contrapondo-se àqueles que não deixam bons rastros em sua passagem.


Por fim, grande parte de meus leitores são jovens. Muitos deles fervorosos, cristãos verdadeiros, ativos e sedentos por fazer diferença. Que conselho poderia dar a estes jovens, pastor?

Continuar com mesmo fervor, cercar-se de bons referenciais, sobretudo nas redes, serem seletivos em suas leituras, usando para isso o discernimento e compreenderem que tudo quanto somos ou pretendemos ser precisa levar em conta a glória de Deus. Tudo começa e termina em Deus.

Pastor, muito obrigado por suas respostas, querido! Que Deus continue abençoando sua vida e que você possa continuar abençoando vidas como sempre tem feito! 



Abração pra todos vocês! Aguardem, pois em breve teremos mais entrevistas!!!

Maicon.

Você Poderá Gostar de:

1 comentários

  1. Esse é um verdadeiro homem de Deus. Não que o Pr J.Weelington não o seja, com certeza é, mas queria que o Pr Geremias assumisse nossa querida CGADB

    ResponderExcluir

Comente. Debata. Discorde. Elogie. Concorde.
Desfrute deste espaço que é seu, amado leitor.
Apenas me conservarei no direito de não responder ANÔNIMOS e conseqüentemente deletar seus comentários.

Na paz do Eterno.

Pr. Maicon

Instagram

Siga!

Formulário de contato