¿La Pregunta?

11:10Maicon Custódio




Quero convidá-lo a pensar numa situação hipotética. O que se passa é uma história fictícia, leia com atenção as linhas a seguir. E perdoe-me por não ser hábil na arte de contar/criar histórias como gostaria de ser...

“Num daqueles domingos à tarde em que uma igreja lá do Bairro do Cantão na cidade de Cafundó do Judas reuniu o povo todo depois do almoço pra fazer evangelismo e convidar pro culto à noite, apareceram por lá o Epafras, a Trifena e a Trifosa, os líderes da juventude da igreja. O fervor evangelístico brilhava nos olhos deles, tanto quanto o sol das duas da tarde naquele verão pesado do Nordeste brasileiro.
O pastor da igreja, Epafrodito, homem de Deus, reuniu o povo todo à sua volta, distribuiu algumas dúzias de folhetos na mão de cada um, deu as orientações, fez uma oração e despediu a congregação para os campos que estavam brancos à espera dos ceifeiros. Em grupos de três pessoas eles saíram e começaram a peleja. Estavam a serviço do Reino e isso já lhes bastava, afinal trabalhar pra Jesus é a melhor coisa que uma pessoa pode querer.
Como era de se esperar, Epafras, Trifena e Trifosa foram juntos. Coisa de 50m depois de saírem da igreja tiveram a primeira oportunidade. Um garoto, que tinha mais ou menos a idade deles estava sentado numa parada de ônibus. Eles educadamente se aproximaram e pediram permissão para trocar algumas palavras com ele. Seu nome era Onésimo e ele prontamente aceitou, afinal, estava sozinho ali por mais de 40 minutos. Epafras então começou a conversar com ele e isto encorajou Onésimo que, prontamente, abriu seu coração.
            - Sabe rapaz. Já quase entrei naquela igreja ali umas três vezes, mas sempre chego à conclusão de que essa coisa não é pra mim. Minha vida é torta demais. Tenho 21 anos, sou “juntado” com uma menina faz uns 2 anos e tenho 3 meninos. A igreja me corta a cabeça quando souber da minha vida. Que Deus vai querer dar ideia pra um pecador miserável igual a mim?
A indagação de Onésimo fez Epafras refletir por uns 30 segundos. Ele então teve um lampejo e se lembrou da última aula de Catecúmenos que tinha assistido, sobre a doutrina da Trindade. E começou a falar:
            - É, Onésimo! Seus problemas se acabaram, pois eu tenho uma ótima notícia para te dar! Deus é três em um. Ele é Pai, Filho e Espírito Santo. E o mais importante disso tudo é que Jesus salva! Toma aqui um folheto e espero ver você hoje a noite no culto lá na nossa igreja!
Saíram nossos três “heróis” com o sentimento de dever cumprido. Não haviam andado nem um quarteirão e já tinham evangelizado o primeiro. Uma alma ganha para Jesus em menos de 5 minutos de evangelismo!
Andaram mais alguns minutos e viram uma mulher chorando na calçada. Trifena, que era toda meiga, tomou frente da situação e foi falar com ela. Seu nome era Dorcas. O motivo do seu choro? O pai acabara de expulsá-la de casa porque soube que era não era mais virgem. Trifena, mais que depressa a abraçou, chorou com ela e ouviu o que ela tinha a dizer. Aos soluços, e pausadamente, Dorcas começou a falar:
            - Meu pai não entende que a gente está vivendo em dias modernos. Transar com meu namorado é a coisa mais normal do mundo. Os padrões morais da década de 70 não se aplicam ao que a gente vive hoje, poxa! Essa coisa de ter família, se doar pra uma pessoa só é furada. O que conta hoje é ser feliz e mais nada! Pra que vou viver toda certinha? Daqui a pouco eu estou velha e vou ficar me arrependendo de não ter curtido a vida. Quem é esse velho rabugento pra achar que manda em mim? Quem precisa de família?
A Trifena, mais que depressa escolheu bem as palavras, tiradas de um livro que estava lendo, é verdade, mas ela falou com conhecimento de causa como poucos.
            - Ô, Dorcas!!! Saiba de uma coisa... Em nossa igreja nós batizamos as pessoas por aspersão e não por imersão! Quer saber o que isso significa? Que ao invés de mergulhar a pessoa na água a gente derrama um pouquinho só na cabeça dela! Isso não é lindo? Mas o mais importante de tudo isso é que Jesus salva!
Trifena tirou um pequeno folheto de sua bolsa, entregou para Dorcas, lhe deu mais um abraço e saiu acompanhada de seus dois amigos. Sentido o gosto da tarefa realizada e ansiando pelo louros da vitória. Era mais uma pessoa que havia passado para o nosso time! O Evangelho fora pregado e o inferno estava em alerta com o evangelismo daquela tarde.
E assim, prosseguiram a tarde toda. Encontrando pessoas, ouvindo suas histórias, entregando seus folhetos e apresentando as verdades contidas na Bíblia aos pecadores que iam encontrando pelo caminho”.

Sabe leitor, essa história parece sem nexo, mas ela é uma leitura da realidade atual da igreja. Nós temos as respostas corretas. Elas são biblicamente embasadas. São A VERDADE. Sem sombra de dúvidas. Mas acontece que nós estamos dando as respostas certas para as perguntas erradas, ou as respostas erradas às perguntas certas.
A igreja só será relevante para o mundo quando souber responder ao drama de cada um. Dando respostas certas às perguntas certas. Não adianta respondermos o que ninguém está perguntando. Lembremos do Mestre, que ofereceu água da vida a quem necessitava diariamente de buscar água em poços. Que ofereceu pão da vida a quem o seguia somente por causa do alimento. Respondendo as perguntas certas, com as respostas certas.
Quais são as grandes perguntas da sociedade? Quais são suas crises? Quais são seus dilemas? Quais seus anseios? Quais seus princípios? Quais seus padrões?
A igreja só será relevante para o mundo em que está inserida quando souber responder essas perguntas.

Que tenhamos discernimento do alto.

Abração.

Pr. Maicon

Você Poderá Gostar de:

5 comentários

  1. Olá Pr. Maicon,

    Texto extremamente relevante. Essa é uma das preocupações mais reais para nossos dias em que a igreja corre o risco de se tornar irrelevante por não conhecer as questões das pessoas hoje.

    Deus abençoe

    ResponderExcluir
  2. Boa, Maicon!

    Que Deus nos conceda o discernimento necessário pra responder as perguntas certas com as respostas certas. Afinal, uma pessoa que está numa crise familiar tá pouco ligando se eu batizo com muita ou com pouca água.

    Belo texto, mano!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Jesus realmente salva, mas precisamos aprender a dizer isso de forma que as pessoas entendam e o único jeito de fazê-lo e prestando atenção aos problemas e anseios apresentados.
    Pena que isso demanda tempo e é mais fácil só entregar o folheto que recebemos pronto...

    ResponderExcluir
  4. É isso mesmo Maicon!
    Evangelho e para transformar a vida como um todo.
    Precisamos aprender a ir mais fundo na Verdade da Palavra de Deus para respondermos aos que estão confusos.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Há um livro bem conhecido intilado EM SEUS PASSOS O QUE FARIA JESUS, não apenas trazendo o contexto do livro para as nossas práticas, mas principalmente pelo que a nossa regra de fé e prática (Bíblia) nos ensina podemos e devemos nos instruir uns aos outros acerca de todos os assuntos... que a sabedoria procedente de DEUS seja uma marca forte e permantente em todos nós pra que tenhamos sempre os argumentos convincentes segundo proposto pelo ESPÍRITO que habita em nós, em nome de JESUS, amém...

    parabéns Maicon, um excelente tema com excelentes citações... SOLI DEO GLORIA

    ResponderExcluir

Comente. Debata. Discorde. Elogie. Concorde.
Desfrute deste espaço que é seu, amado leitor.
Apenas me conservarei no direito de não responder ANÔNIMOS e conseqüentemente deletar seus comentários.

Na paz do Eterno.

Pr. Maicon

Instagram

Siga!

Formulário de contato