Amor Cruz

Perdão e Recomeços

21:22Maicon Custódio

"Ora, tudo provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da reconciliação, a saber, que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões, e nos confiou a palavra da reconciliação. De sorte que somos embaixadores em nome de Cristo, como se Deus exortasse por nosso intermédio. Em nome de Cristo, pois, rogamos que vos reconcilieis com Deus. Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus". II Coríntios 5.18-21


Nas últimas semanas esta palavra - perdão - vem sendo o centro de algumas das mais fortes conversas das quais tenho participado. No nosso dia-a-dia são colegas que brigam e o lado ofendido, humildemente, pede perdão, mas ouve: "Te perdôo, mas não quero mais ficar perto de você". Uma família onde os calos da discórdia causaram feridas profundas demais para que haja qualquer esperança de resolução e recomeços. Ou um casamento que está por um fio porque a parte prejudicada teima em não dar uma segunda chance.

Infelizmente, na cultura corrente o que se ensina é que perdoar é sinal de fraqueza e que esta atitude apenas torna o ofensor predisposto a continuar com seus erros, pois sabe que você sempre perdoará. Os(as) amigos(as), como um bando de abutres, fazem questão de dizer ao cônjuge traído que a reconciliação é um erro e que é melhor se entregar à sexualidade desregrada do que viver com alguém que já provou ser infiel. Perdoar está fora da moda.

Evidenciamos o nível da ofensa e superestimamos aquilo que foi feito contra nós, mas seria isto o correto? Essa amargura e ódio que conduzem ao auto-engano de que "deixar pra lá" é melhor do que perdoar e recomeçar... vale mesmo a pena? Viver com as limitações de uma vida cheia de rancores e situações mal resolvidas é mesmo a melhor opção? Evitar o diálogo pelo ridículo orgulho de não ter que dizer que errou é assim tão melhor do que se humilhar frente à pessoa a quem você ama?

A Bíblia nos conta uma história sobre isto. O nível da ofensa foi maior que qualquer um que você passou ou vai passar nesta vida. Imagine que você desse ao seu filho neste Natal um belo carro de presente e a primeira atitute deste filho fosse a de atropelar você e sua esposa. Que ingratidão tamanha seria usar aquilo que você o deu com tanto amor para se virar justamente contra você. Foi isso que aconteceu - e acontece - com o ser humano em relação a Deus. Ele nos criou e nos deu tudo o que somos e temos, mas nos viramos contra Ele e usamos dessas mesmas capacidades para agir contra este nosso Pai amoroso. Nossa ofensa chega a um ponto tão perverso que nos tornamos inimigos de Deus (Rm 1.30 [NVI]). 

Obvio que, neste ponto da história você deve estar pensando que precisávamos resolver este impasse e nos desculpar com Ele, afinal, nossa atitute foi ridícula, egoísta e ofensiva. Porém, Ele mesmo a resolveu, enviou seu único Filho ao mundo para morrer e pagar o preço de nossa ofensa. O perdão foi conquistado por Ele. Nós matamos um homem inocente com nossas ofensas contra Deus, recebemos o perdão por todas as nossas falhas passadas, presentes e futuras e não somos capazes de perdoar?

Alguns dizem: "Você não sabe o que aquela pessoa fez comigo. É fácil falar de perdão assim!!!". Mas eu sei bem o que cada homem e mulher da face da terra fez a Cristo e mesmo assim isso não foi limite, dificuldade ou barreira para que Ele liberasse poerdão. No perdão de Cristo há recomeços. O velho homem é sepultado e nasce uma nova criatura segundo a imagem do Filho. A cruz, a morte, a ressureição e o perdão culminam em recomeços.


Amigo leitor, o perdão já foi liberado sobre você em medidas absurdamente gigantescas. Os níveis de suas ofensas praticadas são infinitamente maiores do que aquilo que qualquer ser humano na extensão desse planeta pode ter feito a você. Quem sabe não é hora de recomeços na sua vida? Quem sabe hoje não é o dia de doar daquilo que recebeu - o perdão?

Vá se reconciliar com quem te magoou, não espere mais para resolver velhas histórias. Nunca é tarde para recomeços, a ofensa nunca é grande o suficiente a ponto que o amor e o perdão não possa suplantá-la. Perdoar faz bem. Perdoar cura. Perdoar traz sorrisos de volta!

Vai nessa fé.

Abração demorado,


Pr. Maicon

Você Poderá Gostar de:

2 comentários

  1. A maioria das pessoas vive em culturas de mágoa, ressentimento e vingança. Por isto, a noção de perdão conforme o Evangelho lhes parece ser muito alienígena e pouco real.
    Quem tem consciência de que vive e respira favor divino, esse perdoa sempre; e não se deixará desviar do caminho da paz apenas porque algum filho do ódio deseje alveja-lo com as setas da mentira e da amargura.
    Perdoar é a essência da Graça em seu aplicativo no coração do homem que encontrou a Graça de Deus.

    ResponderExcluir
  2. É verdade Sílvio. John Stott é cirúrgico ao chamar o Evangelho de contrac-cultural...

    Obrigado pelo seu comentário!

    ResponderExcluir

Comente. Debata. Discorde. Elogie. Concorde.
Desfrute deste espaço que é seu, amado leitor.
Apenas me conservarei no direito de não responder ANÔNIMOS e conseqüentemente deletar seus comentários.

Na paz do Eterno.

Pr. Maicon

Instagram

Siga!

Formulário de contato