Compaixão featured

Pensamentos Sobre as Tragédias

12:14Maicon Custódio



Desde o dia que Adão e Eva comeram do tal fruto proibido a tragédia se tornou uma realidade humana. O fato em si mesmo já foi uma tragédia - a maior de todas, sem dúvida. Mas, como cremos, um abismo chama outro abismo e notícias ruins raramente chegam sem companhia, portanto, o nosso dia-a-dia segue cheio de suas notas trágicas. Sejam pequenas ou grandes, no quintal de casa ou no Cazaquistão: humanidade é sinônimo de tempos difíceis.

Por definição¹ a tragédia é um acontecimento triste, funesto, catastrófico. Na etimologia² vem de tragoedia do latim que por sua vez aponta para o termo grego trago que era o berro de um bode ao ser sacrificado numa cerimônia religiosa. Enfim, tem a ver com o desespero do último suspiro; com a morte, a tristeza e o sangue. Tragédia é sinônimo de dor. Ora na alma, ora no corpo, ora no outro.

Nas últimas semanas as tragédias de grande porte se acumularam. Aqui nas Minas Gerais uma barragem rompeu, matou um distrito, matou um rio, matou gente. Na Cidade Luz houve uma terrível noite de trevas e terroristas islâmicos eliminaram mais de uma centena de pessoas. Esta semana mais uma horda de promotores do terror fizeram quase duzentas pessoas reféns num hotel no Mali e mataram vinte e duas.

Na onda de comoção que se gerou nas redes sociais - online e offline - após as duas primeiras tragédias foi possível ver reações diversas. Pessoas se ajoelhando em praça pública para orar, hastags #PrayForParis, caminhões de água saindo de cidades do Brasil inteiro para socorrer às cidades afetas em Minas, indignação contra as empresas, repúdio aos terroristas e até disputas acaloradas sobre qual tragédia mereceria a nossa atenção. Como se tivéssemos algum contrato social que nos obrigasse à uma solidariedade exclusiva. Há corpos, lágrimas e desespero por todos os lados. Não há como gemer por um motivo apenas. Gemam todos. Gemam por todos.

O que penso das tragédias? O que sinto nas tragédias? O que faço nas tragédias? Oro, choro, penso, falo, calo e ajo. Sem ordem específica ou checklist. Caminho olhando para frente, mas sabendo da realidade que me espera. Jesus disse que pioraria e que as tragédias se acumulariam (Mateus 24). Ainda que ele seja nossa esperança, nossa cura, nosso Mestre, nosso Amado; não nos negou a verdade. Aos que creem não há surpresa no que está acontecendo, nem a utopia de dias melhores aqui. Entretanto, isso não nos impede de orar, chorar, pensar, falar, calar e agir. A humanidade é temporal e limitada e por isso dói tanto assim.

Sofra pela tragédia de Minas, Paris, Mali, Síria ou Nigéria. Sofra pela sua tragédia, pela minha, pela dos conhecidos ou não. Compartilhe com o outro da realidade que mais nos une, aproxima e torna humanos: a limitação e a dor. Faça isso sem jamais perder a esperança. Porque, apesar das notas trágicas, eu sei que elas não são o fim da linha, nem possuem a última palavra.

A última palavra é: 

Ele enxugará dos seus olhos toda lágrima. Não haverá mais morte, nem tristeza, nem choro, nem dor, pois a antiga ordem já passou
Apocalipse 21:4
Ele enxugará dos seus olhos toda lágrima. Não haverá mais morte, nem tristeza, nem choro, nem dor, pois a antiga ordem já passou
Apocalipse 21:4

Abraços de esperança,

Pr. Maicon.
_______________________________________________
1. Dicionário MICHAELIS ONLINE.
2. Dicionário Etimológico, EDITORA LEXIKON.

Você Poderá Gostar de:

0 comentários

Comente. Debata. Discorde. Elogie. Concorde.
Desfrute deste espaço que é seu, amado leitor.
Apenas me conservarei no direito de não responder ANÔNIMOS e conseqüentemente deletar seus comentários.

Na paz do Eterno.

Pr. Maicon

Instagram

Siga!

Formulário de contato